segunda-feira, 23 de junho de 2008

Resenha do Kurumin NG 8.06 (Nova Geração)



Experimentei recentemente o Kurumin NG 8.06, a nova versão da já bem conhecida distribuição Kurumin, que se encontrava na geladeira desde janeiro do ano passado. Originalmente baseado no projeto Knoppix, o Kurumin dessa vez passou a ter como base o Ubuntu, ou melhor o Kubuntu, devido a sua facilidade de uso e grande disponibilidade de pacotes.

Se na versões anteriores o projeto era tocado por Carlos Morimoto, agora ele se encontra com Leandro Santos, mantenedor do falecido Kalango Linux. A sigla NG, de Nova Geração, vem para celebrar esse fusão da dupla. A versão 8.06, vem para acompanhar a terminologia do Ubuntu com ano.mês, embora também combine com a incrementação de versão já adotada anteriormente pelo Kurumin, cuja última versão fora a 7.

Todos os testes que realizei foram executando o Kurumin como Live-CD. As máquinas, bem variadas, foram um desktop Dell Precision 390, processador Intel Core2duo, um outro desktop Dell Optiplex 650, Intel Pentium 4, um notebook Dell Latitude D810, Intel Pentium M e um notebook HP Pavillion zv6000, AMD Athlon 64. Exceto pela primeira com 4GB de RAM, todas as demais máquinas possuiam 1 GB.

No boot encontramos uma tela bem parecida com a da inicialização do cd do Ubuntu, exceto pelo logo e pelas opções de línguas que se resumem a português e inglês, um erro na minha opinião, pois acho que o espanhol merecia ser incluído. O tempo de boot, para um live cd foi razoável, e o desempenho do sistema carregado foi satisfatório.

Sistema iniciado, encontramos um desktop padrão do KDE 3.51 com uma série de programas padrão-ubuntu instalados, como firefox 3.0 RC1, openoffice e etc, ou seja, nada muito novo. No desktop encontramos a marca clássica do Kurumin, os Ícones Mágicos, um sistema de instalação e desinstalação de programas criado por Morimoto, visado auxiliar a vida do usuário iniciante. Não testei a instalação nem remoção de nenhum programa para saber como o mesmo estaria se comportando e principalmente para saber como o mesmo se encontrava convivendo com o sistema de gerenciamento de pacotes padrão.

Uma coisa que eu gostei, e muito, foi o fato do Kurumin já trazer de cara todo um conjunto de codecs pré instalados. De cara, já consegui escutar arquivos no formato mp3, wma assim como assistir vídeos em divx, xvid, quicktime, flv entre outros. O player padrão do Kurumin é o Kafeine e o único problema ao tentar executar um arquivo RMVB o sistema passa a mostrar continuamente uma mensagem de erro do Kaffeine de que o codec já fora instalado seguida de outra de que ouve um erro na "inicialização das bibliotecas drvc.so". As mensagens surgem repetidas vezes na tela, sendo necessário abrir o konsole e dar um killall kaffeine e um killall install-codecs

O único problema sério da versão ocorreu mesmo ao entrar em configuração do sistema, opção ferramenta de redes, onde o sistema começava a exibir continuamente uma mensagem informando que a plataforma não é suportada. Na mesma janela havia uma caixa onde era pedido para selecionar a plataforma onde o sistema estivesse sendo executado. Nessa mesma janela havia uma mensagem clara de que a escolha da plataforma errada seria comprometedor para o desempenho e funcionamento do sistema.

Olhando a lista de plataformas disponíveis, não havia o Kurumin, sendo o mais próximo o Kubuntu 8.04. Acredito que a equipe de desenvolvimento poderia ter se preocupado em incluir o Kuruma nessa lista, ou melhor, fazer com que a mesma não fosse mostrada, de modo a não assustar alguns usuários.

O resultado final foi razoável. Acredito que se a equipe mantiver em mente esse objetivo de não criar uma distro nova e sim uma distro que seja o Ubuntu pronto para o usuário brasileiro típico, eles estarão sem sombra de dúvidas no caminho certo!

imagem retirada do sítio oficial do projeto:
http://www.gdhpress.com.br/kurumin-ng/

Nenhum comentário: